Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for the ‘Formações Vegetais’ Category

A chegada da estação das chuvas na Amazónia do Sul.

Normalmente, está generalizada a ideia de que a Floresta da Amazónia é equatorial e, por isso, chove aqui ao longo de todo ano. De facto, não é bem assim. Há extensas áreas na Amazónia que têm um clima tropical, portanto com uma estação seca.

A Norte do Equador a estação chovosa ocorre entre Junho e Agosto, pelo menos, é nesta época do ano em que as chuvas são mais intensas. A sul do Equador ocorre entre Outubro a Abril (que, em Portugal, são os meses mais frios).

Este conjunto de fotografias (obtidas no site da NASA- “Earth Observatory”) ilustra a chegada da estação chuvosa no Sul da Amazónia. Em cima (7 de Agosto) o céu está praticamente limpo e quase não se observam núvens. No meio (25 de Agosto) o céu está coberto de núvens do tipo Cúmulo-nimbos, que tem uma forma típica em “pipocas”. São núvens que indiciam chuva forte e trovoadas. Em baixo (3 de Setembro) o início da estação chuvosa atestado por núvens de tempestade que são, basicamente, cúmulo-nimbos mais desenvolvidos. Estas núvens podem atingir o cimo da Troposfera, ou seja, podem ter aproximadamente 15 kms de espessura. São também conhecidas por núvens de desenvolvimento vertical que formam com pressões muito baixas.

Estas tempestades resultam do movimento para Sul das baixas pressões equatoriais que se começa a verificar em Setembro, o fim do nosso Verão.

PTG

Read Full Post »

satelite.jpg

(Clickar em cima da figura para aumentar)

Esta é uma imagem da Terra do Satélite Meteosat de 21/10/2006 às 18.00 horas. Nela são visíveis as grandes faixas de baixas pressões e anticiclones. Na imagem foram colocadas, de forma muito esquemática, os anticiclones e as baixas pressões.

BAIXAS PRESSÕES EQUATORIAIS

Estão bem visíveis sob a forma de alinhamentos de núvens arredondadas sobre a zona equatorial. Estas núvens, de grande desenvolvimento vertical e que podem ter mais de 10 Km de espessura são designadas por Cúmulo-nimbus. São núvens de tempestade que dão origem a chuvas muito intensas.

ALTAS PRESSÕES SUBTROPICAIS

São as extensas áreas quase sem nebulosidade situadas a norte e a sul das regiões equatoriais.

As altas pressões sobre o Deserto do Sara estão aqui bem visíveis, assim, como o anticiclones dos Açores, no Atlântico Norte. No Atlântico Sul temos uma vasta área quase sem nebulosidade que corresponde  ao anticiclone de Santa Helena.

BAIXAS PRESSÕES DAS LATITUDES MÉDIAS 

São as manchas nebulosas a norte e a sul (dependendo do hemisfério em questão) dos anticiclones subtropicais. Estas núvens formam-se no contacto entre o ar quente originário dos anticiclones subtropicais e o ar frio vindo das regiões polares. Há muita precipitação, embora em menores quantidades do que nas regiões equatoriais.

Neste dia e a esta hora, a Península Ibérica, e Portugal em particular, registavam elevada nebulosidade e intensa precipitação.

ANTICICLONES POLARES

Estão localizados sobre as regiões polares. Há alguma nebulosidade mas há, sobretudo, gêlo. O ar das regiões polares é muito frio e, por isso, é também muito denso e “pesado”, não haven condições para a ascenção do ar e consequente ocorrência de precipitação.

AS FORMAÇÕES VEGETAIS

Na imagem estão ainda bem visíveis algumas formações vegetais, em particular a floresta equatorial, savana e os grandes desertos quentes. Junto ao Equador a cor verde indica a presença de extensas áreas de vegetação densa que corresponde à floresta equatorial. à medida que nos afastamos do Equador a cor verde vai ficando mais esbatida, demonstrando a presença da savana. Os castanhos e amarelos que se seguem para norte ou para sul destas manchas verdes correspondem às áreas dos grandes Desertos quentes. Em particular evidência está o Deserto do Sara, do Kalahari (África Austral) e Deserto da Arábia.

PTG

Read Full Post »

tropical-rainforest.jpg 

Conforme tinha combinado com o 7º B este “post” é para aprofundar o estudo das florestas equatoriais e tropicais. Em primeiro lugar podem dar uma olhadela num ficheiro pdf da Universidade de Évora que tem uma síntese muito completa sobre as Florestas Equatoriais. Esse ficheiro pode ser descarregado AQUI!!!! 

foto da floresta amazônica

Vegetação das florestas equatoriais e tropicais

Segundo a FAO (Organização de Alimentação e Agricultura da ONU), as florestas densas (tropicais e equatoriais) cobrem aproximadamente 3 bilhões de hectares da Terra e as florestas abertas (savanas e cerrados) ocupam 1,3 bilhão de hectares. São florestas luxuriantes, muito densas, com árvores de grande porte, cujas folhas são de grandes dimensões e muito carnudas.

TIPOS DE VEGETAÇÃO

A variedade de vegetação acontece em função das diferenças de altitude, latitude, pressão atmosférica, iluminação e actuação das massas de ar.

Florestas equatoriais Ocorrem nas baixas latitudes, compreendendo a Amazónia, parte centro-ocidental da África e sudeste asiático. Como estão em áreas quentes e húmidas, possuem folhas largas (latifoliadas) e sempre verdes (perenes). As árvores podem ter até 60 metros (castanheira). Apresentam grande variedade de espécies (floresta heterogénea). Os solos em geral são pobres. São conhecidas como autofágicas (que se alimentam de si mesmas) em função da grande quantidade de húmus proveniente das folhas, galhos e troncos.

Florestas tropicais Em comparação às florestas equatoriais, as tropicais possuem menor diversidade de espécies vegetais, árvores de menor porte e, claro, espécies diferentes. As florestas tropicais localizam-se na faixa litoral intertropical.

Savanas Aparecem na faixa intertropical em locais onde ocorre uma estação seca, impedindo o aparecimento de florestas. São formações vegetais encontradas no centro-oeste brasileiro, larga faixa do centro da África, litoral da Índia e norte da Austrália. Têm plantas rasteiras (herbáceas), intercaladas por árvores de pequeno porte. No período de seca, as folhas caem para evitar a evaporação. No Brasil são designadas por cerrado e na África, porsavana. Fonte: http://www.geocities.com/toptekbr/dados/vegetacao.htm (adaptado agora para Português de Pottugal)

PTG

Read Full Post »