Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for the ‘População’ Category

This map shows links between a few countries concerning scientific collaborations. This spatial pattern is also visible in many other datasets (namely the Facebook connections map). It shows that globalization isn’t always the rule. In the case of scientific collaborations, “global” means a minority of countries.
Notice that shorelines are not present in this map, although we can inferred the shapes of the continents.

See more details in : http://collabo.olihb.com/

Read Full Post »

tweetping.net

The World according to tweeter. This is a snapshot of the World between 8:30 AM and 9:00 AM GMT. Excellent tool to study population distribution.

Go to
tweetping.net

Read Full Post »

NASA – Earth observatory

(Clickar na imagem para a ver completa)

Esta imagem de satélite mostra a cidade de Nova Deli. Podem-se observar múltiplos aspectos que podem estar presentes em espaço urbano:

  • Áreas de elevada densidade de construção;
  • Vale fluvial;
  • Espaços verdes: áreas florestais, áreas agrícolas;
  • Vias de comunicação;
  • Diferentes estruturas urbanas.

Estes diferentes aspectos da paisagem mostram bem a evolução histórica da cidade. A cidade velha apresenta uma forte densidade de construção, mas com edifícios de baixa altitude. Quase não se vê vegetação. A contrastar a cidade nova foi construída ao longo de largas avenidas arborizadas que ligam parques, monumentos e edifícios governamentais.

A ocidente de Nova Deli está localizada uma reserva florestal que dá uma ideia de coimo seria a paisagem da região antes do crescimento urbano entretanto verificado. De notar ainda a existência de campos agrícolas férteis a noroeste de nova deli, que são parte do instituto indiano de pesquisa agrícola

Nova Deli é a capital da Índia e ocupa uma área de 1500 Km2, nos quais vivem 22 milhões de habitantes, portanto mais do dobro da população portuguesa!

Read Full Post »

As migrações

O João Pessoa fez um “Powerpoint” excelente sobre as migrações! O trabalho merece, sem dúvida, ser visto por toda a gente.

Coloquei somente os slides um a um para que se possam, pelo menos, observar as imagens e ler o texto. Falta a música que também está incluída no trabalho original.

Para quem quiser consultar o original pode fazer o dowload AQUI!

Migrações

Read Full Post »

Este mapa é retirado do site da Presidência da República e representa a densidade populacional em Portugal por concelhos. Há um forte contraste entre, por um lado, o litoral Norte e Centro e litoral do Algarve e, por outro lado o resto do país, em particular o interior. No primeiro caso, observam-se elevadas densidades populacionais e, no segundo caso, as densidades são, no geral, muito baixas. Tal mostra a capacidade de atracção de população do Litoral Português (excepto o litoral alentejano) onde se situam as maiores e mais desenvolvidas cidades. As densidades do litoral Algarvio dizem respeito a população residente, naõ confundir, portanto, com o afluxo de turistas. O Turismo é fonte de desenvolvimento no Algarve e tem-se mostrado eficaz na sua capacidade de atacção de população residente.

O litoral alentejano sempre foi a excepção em Portugal continental. Curiosamente as principais cidades alentejanas situam-se no interior: Évora e Beja. Nos últimos anos, fruto de uma reanimação da actividade industrial e portuária, Sines tem registado um crescimento assinalável.

O interior de Portugal continua a manifestar uma grande dificuldade em atrair popu8lação. Salvo algumas capitais de distrito do interior que t~em cresico em termos populacionais, os concelhos do interior sofrem de um crescente abandono das suas populações em direcção às grandes cidades, sobretudo as do litoral.

Read Full Post »

earth_night.jpg

A imagem resulta de uma composição de vária imagens de satélite tiradas à Terra durante a Noite e em alturas de céu limpo.

Podemos observar as luzes emitidas durante a noite, o que nos dá, evidentemente, as áreas mais iluminadas, na sua maioria, as áreas mais densamente povoadas. É uma outra forma de mostar a distribuição da população mundial, através da quantidade de luz emitida durante a noite, que indica a presença humana.

Mas nem tudo o que é luz é presença humana. Assim, algumas luzes sobre a Amazónia são incêndios, as luzes no Mar do Japão são da rota pesqeira japonesa, algumas luzes no deserto da Arábia são de poços de petróleo.

No entanto, a imagem geral que se pode retirar é a da ocupação humana.

As áreas atractivas etão bem visíveis e iluminadas: o nordeste dos EUA, a costa Oeste dos EUA (Califórnia), o litoral da America do Sul (em particular a região de São Paulo e Rio de Janeiro), a Europa central e ocidental, o sul e sudeste asiático.

As áreas repulsivas estão representadas pela ausência (ou quase) de luzes: A Amazónia; os desertos quentes (Sahara, Kalahari, Gobi, deserto australiano), os desertos frios (regiões polares do norte e do sul – Gronelândia, Norte do Canadá, Norte da Ásia (Sibéria) e as grandes cadeias de montanhas (ex. Himalaias).

Read Full Post »

Uma actualização da situação do envelhecimento em Portugal até 2005.

Apesar de se tratar somente de 5 anos o efeito “envelhecimento” continua bem marcado na estrutura etária portuguesa. Veja-se, por exemplo, que a base da pirâmide continua a estreitar, ao mesmo tempo que o topo continua a “alargar”. Isto traduz uma baixa de natalidade (estreitamento na base) e um aumento do número de idosos (alargamento no topo) e consequente aumento na esperança média de vida.

O acentuar do estreitamento na base da pirâmide verifica-se até às classes etárias dos 25 anos (aproximadamente), altura em que a situação se inverte, ou seja, verifica-se, a partir daqui um aumento de efectivos até às classes etárias mais elevadas no ano de 2005.

Este relatório foi publicado em 2006, referente a dados de 2005.

Read Full Post »

As pirâmides que a seguir se apresentam são do Instituto Nacional de Estatística. São construídas com base em classes etárias de um ano e não de cinco conforme estamos mais habituados. Ganha-se, contudo, uma análise de maior pormenor.

A pirâmide de 1960 mostra uma estrutura típica de população jovem, com elevada natalidade e uma esperança média de vida relativamente baixa. Reflecte bem o subdesenvolvimento económico português da altura.

Em 1970 nota-se já uma ligeira descida da natalidade, mas o aspecto mais importante a realçar são as classes ocas nas classes etárias dos jovens adultos entre os 20 e os 30 anos de idade. Portugal viu uma boa parte da sua população abandonar o país durante a década de 60 para a emigração com destino à Europa (sobretudo França). Isto reflecte-se na pirâmide etária de 1970, onde o “estreitamento” nas classes etárias dos jovens adultos é bem evidente.

Em 1981 acentua-se um pouco o envelhecimento traduzido numa baixa de natalidade (visível pelo ligeiro estreitamento na base da pirâmide) e um ligeiro aumento na esperança de vida (traduzido por um ligeiro alargamento no topo da pirâmide). As classes ocas resultantes do grande fluxo migratório dos anos 60 ainda é visível só que, como seria de esperar, está 10 ano acima, nas classes etárias dos 30 aos 40.

O desenvolvimento económico que Portugal experimentou desde meados da década de 80, altura em que integrou a então designada Comunidade Económica Europeia (actual União Europeia), reflectou-se logo na Pirâmide. Portugal deixou definitivamente de ser um país com uma economia rural e modernizou-se. A população portuguesa adquiriu um comportamento mais urbano e a mulher emancipou-se, entrando em força no mercado de trabalho. Em consequência a natalidade baixa bruscamente, como se pode ver pelo estreitamento acentuado na base da Pirâmide. Ao mesmo tempo, o topo da pirâmide alarga-se agora de forma muito mais visível, traduzindo uma baixa na mortalidade e consequente aumento da esperança de vida. As classes ocas da migração dos anos 60 são visíveis agora nas classes etária dos 40 aos 50. Esta pirâmide de 1991 é já típica de um país envelhecido.

 piramide2001.jpg

Em 2001 acentua-se o envelhecimento, com um reforçar do estreitamento na base (menor número de indivíduos das classes mais jovens) e alargamento no topo (aumento dos efectivos das classes etárias dos idosos).

Read Full Post »

A pirâmide em cima mostra o quanto a população portuguesa envelheceu na última década. As pirâmides de 1991 e 2001 estão justapostas: 2001 a laranja e 1991 a cinzento. É uma boa forma para se estudar a evolução, comparando directamente as diferentes classes etárias, nos diferentes anos em questão.

Nota-se um claro estreitamento da pirâmide de 2001 nas classes etárias dos mais novos e um alargamento no topo, ou seja, nas classes etárias dos mais idosos. Isto significa também que, nesta década, a natalidade diminui e a esperança de vida aumentou.

Read Full Post »

Evolução da população residente – Portugal (1990 a 1998)

    Este gráfico representa a evolução da população residente em Portugal, entre os anos de 1990 e 1998. O ritmo de crescimento anual de homens e mulheres é constante, sendo o número de mulheres sempre mais elevado do que o dos homens. É de notar que as linhas dos crescimentos anuais são praticamente paralelas sendo o ritmo de crescimento anual das mulheres ligeiramente superior.

    O gráfico foi retirado do site:
http://images.google.com/images

Inês Palma nº15 8ºE

Read Full Post »

Older Posts »